0

Desfralde

terça-feira, 5 de abril de 2016

Desfralde, sempre foi uma palavra que me assustou, desde que fui mãe de trigémeos. Quando ouvia ou articulava essa palavra, o meu cérebro automaticamente pensava em cenários pouco higiénicos e aparatosos, como ter uma pilha de roupa (mais ainda do que já tenho) até ao tecto para lavar!
De facto, é um tema que surge sempre à baila quando temos filhos com idades próxima dos 24 meses, na altura do Verão. Connosco, não foi diferente! O trio fez 2 anos em Setembro, logo poderiam ter feito o desfralde no verão de 2015, mas não o fizeram, porque achámos que não tinham maturidade suficiente, tanto a nível fisiológico como cognitivo, para além de terem nascido 3 meses antes do tempo. No entanto, depois de tomarmos esta decisão e depois de cumprirem os 2 anos no final de Setembro, o Diego, começou a demonstrar interesse em sentar-se no bacio por longos períodos de tempo, e posteriormente começou a fazer xixi e cocó sempre que ía à casa de banho. Em conjunto com a creche, iniciámos o desfralde do Diego, e numa altura em que ninguém o faz, no Outono/ Inverno. Têm sido uns meses de altos e baixos, com muitos acidentes pelo meio, até ao momento em que ele começou mesmo a pedir e a dirigir-se sozinho ao bacio. Continuam a ocorrer descuidos, mas por não chegar a tempo, ou porque estava mesmo distraído na brincadeira. Difícil para nós, tem sido sair de casa sem fralda, o que é péssimo e não ajuda em nada na concretização desta etapa. Os locais não têm casas de banho suficientes e as crianças andam distraídas e só pedem à última hora quando já não aguentam mais. Seriamente, estamos a pensar começar a andar com bacio atrás, porque se já é difícil com um, imaginem com três! Das duas uma, ou um bacio, ou uma mala de viagem cheia de roupa, para mudar. 

Dicas para quem está a pensar no desfralde:

- os pais estão preparados e não estão em fase de mudanças;

- a criança anda com segurança e senta-se com equilíbrio;

- tem consciência de que está a fazer cocó, mostrando sinais;

- compreende ordens simples, como puxar ou baixar as calças, mostrando algum desejo em participar;

- identifica as partes do corpo;

- respeitar o desenvolvimento e maturidade da crianca, sem ter muitas pressa;

- se a criança apresenta sinais de desfralde fora do Verão, não devemos deixar passar essa fase. 

Para se preparar ainda melhor para este desafio, aconselho o livro da Psicóloga Olga Reis.





Sem comentários

Publicar um comentário

Blogs Portugal